Ecosan disponibiliza serviços de BOT e BOO no mercado nacional

 

Aliar experiência em finanças e manutenção de parcerias com instituições financeiras foi a ferramenta encontrada pela Ecosan para o desenvolvimento de soluções abrangentes aplicáveis aos serviços de BOT (Build, Operate and Transfer) e BOO (Build, Operate and Own), tendência mundial adotada pelo Brasil nos últimos anos.

Diretor executivo da Ecosan, empresa líder em equipamentos e sistemas domésticos e industriais, André Telles explica que o serviço de BOT ocorre quando uma empresa utiliza recursos próprios ou de investidores para projetar, construir e operar uma planta de tratamento de propriedade de um terceiro, por um período pré-determinado em contrato, cujo projeto é transferido para o cliente, ao final do contrato.

“Nesse caso, o cliente é dono da estação, porém transfere toda responsabilidade da planta para a Ecosan, inclusive a captação financeira. Nosso faturamento ocorre durante a operação da planta, pelo volume de água, efluente tratado ou por um valor fixo mensal”, ressalta Telles, esclarecendo que o método BOO é um modelo semelhante ao BOT, porém a empresa que projeta, constrói e opera é a detentora do sistema.

A Ecosan detém parcerias com bancos comerciais, fundos de investimento público e privado e operações estruturadas imobiliárias, permitindo que os procedimentos BOT e BOO sejam focados no atendimento de clientes que priorizam soluções rápidas e seguras, sem nenhum custo de investimento.

O projeto pode ser aplicado em tratamento de águas potáveis, industriais e marítimas e de efluentes sanitários, industriais e de reúso. “Nosso objetivo é oferecer uma planta produtiva, confiável e conforme as mais rigorosas normas ambientais”, explica o diretor executivo da Ecosan, André Telles.

Com isso, a empresa garante capital de investimento, pagamento somente após a implementação, curto prazo de implantação e volume de água produzida. “Nosso trabalho entrega inteligência financeira e possui o melhor custo operacional, de forma eficiente, sustentável e responsável, finaliza Telles.