Cursos tecnólogos são oportunidades para mercado de trabalho

No mundo de hoje é praticamente impossível viver sem tecnologia. Os constantes avanços no setor tornam a vida mais prática e eficiente. Quem se especializa na área tecnológica encontra um mercado cada vez mais aquecido, oferecendo diversas oportunidades de inserção. Os tecnólogos são profissionais de nível superior com formação tanto para produção e inovação científico-tecnológica como para gestão de processos de produção de bens e serviços.

Acompanhando as atuais tendências de mercado, a Faculdade de Ciências Agroambientais (Fagram), da Sociedade Nacional de Agricultura (SNA), oferece novos cursos presenciais de Gestão do Agronegócio e Comércio Exterior.

Outra opção é o tradicional curso de bacharelado em Zootecnia, com grade curricular renovada, pelo qual os estudantes, além da formação básica, adquirem experiência prática para que possam solucionar questões relativas à organização da produção animal, envolvendo genética e reprodução, nutrição, higiene e saúde.

As inscrições para todos os cursos da Fagram já estão abertas e prosseguem até o dia 31 de agosto, no campus da SNA na Penha (Zona Norte do Rio de Janeiro) ou pela internet (http://fagram.edu.br). Os processos seletivos, que incluem provas objetivas, serão realizados nos dias 13 de julho, 10 e 31 de agosto no período da tarde. Os interessados que não puderem comparecer aos vestibulares nos dias programados, poderão agendar datas alternativas por telefone.

CERTIFICAÇÃO

“Os cursos tecnológicos tem como diferencial a formação voltada para o mercado de trabalho, com duração menor que os tradicionais bacharelados e licenciaturas, e são condensados em disciplinas de aplicação direta, oferecendo certificações intermediárias, conforme o aluno vai adquirindo competências e habilidades específicas”, explica Christiane Perali, coordenadora dos cursos da Fagram.

Segundo ela, as certificações intermediárias “são reconhecidas por empresas e descritas na Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), permitindo ao aluno utilizá-las como aprimoramento profissional e ascensão na carreira já durante o curso”.

OPORTUNIDADES

Todas as áreas oferecem perspectivas de inserção tanto no setor público como no privado. Em comércio exterior, há opções de carreira em indústrias, agroindústrias, empresas de importação e exportação, cooperativas, empresas de consultorias, assessoramento empresarial, empresas prestadoras de serviços ou até em corretoras de valores e ações especializadas, etc.

Nesse caso, “o foco é o conhecimento de cada mercado potencial, suas particularidades de negociação, barreiras culturais e legislação, para facilitar o processo de comercialização dos principais produtos brasileiros”, afirma Perali.

Já os avanços tecnológicos nos segmentos do agronegócio, bem como nos elos das diversas cadeias produtivas do setor, abrem oportunidades nas áreas de informática, inteligência organizacional, agricultura de precisão e de qualidade, biotecnologia, nanotecnologia, entre outras.

“Há perspectivas de inserção desde os cargos de gerente e assessor, até consultor administrativo em empresas, organizações e órgãos rurais, especialmente em agroindústrias, cooperativas e unidades de produção agropecuárias, como grandes confinamentos de leite e corte, aviários, bem como em empresas de comercialização nacional e exportadoras”, indica a coordenadora da Fagram.

Na área de Zootecnia o leque de atuação também é grande. O zootecnista pode trabalhar em ensino, pesquisa e extensão; fiscalização; produção, conservação e controle de qualidade dos produtos e subprodutos animal; construções rurais; meio ambiente, etc. Além disso, os ganhos salariais não deixam de ser atraentes.

“Os salários podem chegar até a R$ 25 mil nos cargos de administração de grandes confinamentos de corte, mas em média giram em torno de R$ 3,5 mil”, informa Christiane.​